Pelas Ruas de Odivelas

Falemos de ruas, ou antes, de nomes de ruas. Proponho o nome de uma – Rainha Dona Leonor. A minha escolha fundamenta-se mais na importância do nome do que na importância da rua, uma paralela da Avenida Professor Doutor Augusto Abreu Lopes.


Quem foi esta Rainha Dona Leonor ? Temos de escolher entre as várias Leonores
portuguesas por nascimento ou por casamento e que foram rainhas :
1 – Houve uma Leonor ,filha do Rei D. Afonso II e que foi Rainha da Dinamarca, por ter casado com o Rei Valdemaro III daquele país.
2 – O Rei D. Duarte casou a sua filha Dona Leonor, com Frederico III, Imperador da Alemanha, pelo que foi Rainha/Imperatriz. O casamento realizou-se em Lisboa e com tal pompa que se esvaziaram os cofres da Coroa, atingindo as despesas a importância de 150.000 cruzados. Esta Dona Leonor foi mãe do Imperador Maximiliano , e bisavó do Imperador Carlos V, talvez as duas figuras históricas que detiveram maior poder político na Europa, até hoje.
3 – Dona Leonor Teles, Rainha de Portugal por ser a esposa do nosso Rei D. Fernando. O povo português não aprovou este casamento e nunca simpatizou com esta rainha.
4 – Uma outra Rainha com o nome de Leonor, foi a mulher do Rei D. Duarte. Era filha do Rei de Aragão. Apesar de ser conterrânea da Rainha Santa, não cativou, como Ela, o coração dos portugueses.
5 – Dona Leonor, casada com o D. João II, irmã de D. Manuel I.
Fundou as Misericórdias, o hospital das Caldas da Rainha, os conventos da Madre de Deus e da Anunciada, dispensou grande protecção a Gil Vicente, pois sem essa protecção nunca poderia ter-se atrevido a escrever alguns dos seus Autos, que chegaram a estar proibidos devido às duras críticas que fazia ao comportamento dos poderosos.
Algumas vezes lhe foi confiado o pesado encargo de substituir o Rei na ausência deste, tanto em vida de D. João II, como depois de viúva, no reinado de D. Manuel.
6 – A terceira esposa do Rei D. Manuel I, chamava-se também Leonor. Era irmã do aqui já referido Imperador Carlos V e, como ele, neta do também já mencionado
Imperador Maximiliano. Com 60 anos de idade, D. Manuel casou com esta jovem, nascida na Flandres. O que este casamento tem de mais insólito é que a jovem Leonor era a prometida noiva de seu filho, o futuro D. João III que, nunca terá esquecido esta ofensa que o pai lhe fez. Ficou viúva dois anos depois e o povo de Lisboa expressou a vontade de a ver casada, agora sim, com o herdeiro do trono, o que não veio a acontecer por se lhe sobreporem os interesses políticos do seu irmão Carlos V, que assinou com o Rei Francisco I de França, um tratado, cujo sucesso dependia do casamento de Dona Leonor com aquele monarca francês, o qual veio a realizar-se pouco tempo depois.
Pelo lado materno era neta dos Reis Católicos de Espanha, que eram os pais de sua mãe, conhecida na História por “Joana a Louca”. Contrariamente ao que se afirma em textos recentemente publicados, seu pai nunca foi rei de Espanha. Chamava-se Filipe e apelidou-o a História, de “ Belo “.Era alemão, filho do Imperador Maximiliano. À morte dos Reis Católicos a herdeira do trono espanhol seria realmente sua esposa Joana, mas Filipe morreu antes de seu sogro, o Rei Católico D. Fernando, razão pela qual não pode subir, com sua esposa Dona Joana, ao trono de Espanha.(1)Parece ter sido a morte do marido que levou Joana à loucura.
Esta sua filha Leonor, Rainha de Portugal primeiro e de França depois, foi uma vítima dos jogos e dos interesses políticos e diplomáticos. Do seu casamento com D. Manuel nasceu a Infanta D. Maria, notável pela sua grande cultura e riqueza, considerada mesmo, a princesa mais rica da cristandade. O seu nascimento trouxe uma tão grande alegria ao Rei D. Manuel, que o levou a cometer o erro de lhe dar um dote tão grande, que veio a ser o maior obstáculo ao seu casamento. O Rei D. João III, seu irmão, serviu-se sempre do nome dela nos jogos diplomáticos, tendo-a prometido várias vezes em casamento, mas nunca permitindo que ela se casasse, para não ter que lhe entregar o dote, o que a verificar-se, traria a Portugal graves dificuldades
A sua imagem foi impressa numa das últimas emissões das notas de cinquenta escudos, como alguns ainda se recordarão.
7 – Não quero concluir sem fazer uma, embora breve referência, a uma outra Leonor, filha de D. Afonso IV. Veio a ser Rainha de Aragão, por ter contraído Matrimónio com o Rei D. Pedro IV, parente próximo da Rainha Santa.
Destas sete rainhas, todas elas com o nome de Leonor, qual teriam os Odivelenses querido homenagear, ao darem o seu nome a uma rua? Nunca fui pessoa de certezas absolutas, mas tenho boas razões para crer que a homenageada foi a esposa do Rei D. João II e não, como se afirmou, num texto recente, a terceira esposa do Rei D. Manuel. É que quando se fala na Rainha Dona Leonor sem acrescentar mais explicações, todos subentendem que é a fundadora das Misericórdias. Bem ou mal, ganhou um tão grande prestígio que, no entendimento dos portugueses, “ Leonor só há uma, a Rainha Velha e mais nenhuma”.
O termo “ Rainha Velha” era usado pelo seu protegido Gil Vicente e não era desrespeitoso; indiciava até alguma deferência e afecto, possibilitando, ainda, estabelecer a distinção entre ela e a Rainha Consorte.
Todas as outras rainhas com o mesmo nome, são muito pouco conhecidas, com excepção de D. Leonor Teles que, a manter-se o juízo que os portugueses
fazem dela, não verá, tão cedo, o seu nome na placa de uma rua.

(1) nota – não confundir este príncipe alemão com o rei francês, também chamado Filipe o Belo, famoso, entre outras razões, pela extinção dos Templários.

Odivelas, 26 de Outubro de 2006

Maria Máxima Vaz


Os conteúdos publicados são da exclusiva responsabilidade dos seus Autores. As opiniões expressas em cada artigo vinculam apenas os respectivos autores e não traduzem necessariamente a opinião dos demais autores da “NoticiasLX” nem do Diretor ou do seu proprietário. A citação, transcrição ou reprodução dos conteúdos da “NoticiasLX” estão sujeitas ao Código de Direito de Autor e Direitos Conexos. É proibida a reprodução ou compilação de conteúdos para qualquer fim, sem a expressa e prévia autorização da “NoticiasLX” e dos respectivos Autores.