Bloco quer Câmara de Loures a ajudar na pintura da Escola Secundária de Sacavém

Recomendação bloquista vai ser debatida esta noite, na Assembleia Municipal de Loures de 28 de Fevereiro, e exorta a autarquia a ceder andaimes e material de pintura para aproveitar os mais de 1500 litros de tinta cedidos gratuitamente pela Dyrup Sacavém. Eleitos vão ser convidados a ajudar voluntariamente na pintura.

O Bloco de Esquerda Loures quer que o executivo de Bernardino Soares ajude a Escola Secundária de Sacavém a usufruir dos mais de 1500 litros de tinta cedidos gratuitamente pela Dyrup Sacavém para pintar salas, tetos e paredes exteriores daquele equipamento escolar, que acolhe mais de 1200 alunos.

Para isso, o Bloco vai apresentar hoje, em reunião da Assembleia Municipal de Loures, uma recomendação para que a autarquia ceda, a título gratuito, os andaimes e as ferramentas necessários à pintura dos vários pavilhões da Escola Secundária de Sacavém.

Os bloquistas vão também convidar todos os autarcas do concelho de Loures, eleitos na Assembleia Municipal, Presidentes das Juntas de Freguesia e membros do executivo camarário a participar na pintura da escola, constituindo um exemplo de participação comunitária no concelho.

“Este é um caso flagrante de como, com um pouco de boa vontade e espírito de entreajuda entre várias entidades, todos podemos tornar uma escola num local mais confortável, saudável e aconchegante para todos os alunos, professores e restantes profissionais”, aponta Fabian Figueiredo, dirigente nacional do Bloco de Esquerda e candidato à Câmara Municipal de Loures nas últimas eleições autárquicas.

“Não se pede à Câmara Municipal de Loures que faça obras, apenas que ceda os andaimes e o material para que outros o façam, sem grandes custos para a autarquia”, sustenta Fabian Figueiredo.

A Escola Secundária de Sacavém é um equipamento escolar com mais de 35 anos e que, desde a sua inauguração, nunca sofreu obras de requalificação.

Entre junho e julho de 2018, a PPG Dyrup, fábrica de tintas e vernizes de Sacavém, criou um programa de voluntariado para ajudar a pintar a Escola Secundária de Sacavém. O programa disponibilizou voluntários e produtos da empresa para ajudar a dar cor e vida àquele estabelecimento escolar.

Neste projeto, voluntários da PPG Dyrup e mais de 140 dos professores, assistentes operacionais, pais e alunos da escola dedicaram cerca de 1600 horas ao longo de 10 sábados a reabilitar a escola. Para o efeito, a empresa doou mais de 26 mil euros, incluindo 2250 litros de tintas para interiores e exteriores e outros produtos.

Acabado o projeto, ficaram por pintar muitas salas e ainda os tetos e as partes exteriores dos vários pavilhões, tendo a escola ficado com mais de 1500 litros de tinta armazenados numa sala, sujeitos à degradação inerente ao passar do tempo. Para pintar o remanescente, a escola necessita de andaimes, material e mão-de-obra, tendo contatado a autarquia a solicitar auxílio para levar a cabo esta empreitada.

No entanto, a Câmara recusou a cedência dos andaimes, alegadamente, por não se encontrarem homologados e também por temer responsabilidades em caso de acidente.

Caso os andaimes fossem disponibilizados pela autarquia, a direção da Escola Secundária de Sacavém poderia, com custos bastante reduzidos, contratar recursos ou uma empresa que prestasse o serviço de pintura de salas, tetos e exteriores, sem se colocar o problema de eventuais responsabilidades, visto estas empresas deterem seguros de acidentes de trabalho para os seus trabalhadores.

Wordpress Social Share Plugin powered by Ultimatelysocial
RSS
Facebook
Twitter
YouTube