O Grupo Luz Saúde faz repressão laboral sobre os trabalhadores para não elegerem o Delegado Sindical no Hospital da Luz

Nota de Imprensa do CESP, Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal

O CESP, Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal, vem denunciar que a Luz Saúde ignora a Constituição da República Portuguesa, nomeadamente, o disposto no seu Artigo 55.º, Liberdade Sindical, que prevê o direito de exercício de actividade sindical na empresa.

A Luz Saúde proibiu no passado dia 6 de Fevereiro, no Hospital da Luz em Lisboa, que o CESP contactasse com os trabalhadores, recusando a entrada dos Dirigentes neste local de trabalho.

No passado dia 1 de Março, o CESP esteve reunido com a Direcção de Recursos Humanos da Luz Saúde, onde manifestou mais uma vez a necessidade para o cumprimento da Lei do exercício da actividade sindical, bem como a disponibilização de espaço para a realização da eleição do Delegado Sindical. No entanto o director de recursos humanos Dr. Paulo Barreto, não autorizou a cedência de espaço num claro confronto á Constituição da Republica, aos Trabalhadores e ao seu Sindicato de classe.

Hoje dia 15 de Março, à porta do Hospital da Luz, os trabalhadores num acto de coragem em defesa dos seus direitos, procederam à eleição do Delegado Sindical apesar da presença de vários representantes da empresa numa clara postura intimidatória e ameaçadora.

Durante o processo de eleição foram tiradas várias fotografias sem autorização dos trabalhadores ou do Sindicato. Em caso de qualquer tipo de represálias denunciaremos ás entidades competente. Não podemos deixar de considerar tal comportamento antidemocrático e exemplo dos tempos do 24 de Abril de 1974 que merece todo o nosso repudio.

Mas, os trabalhadores e o CESP não se intimidam e nunca abdicaram de lutar pela defesa dos seus direitos e justo aumento dos salários para todos os trabalhadores.

Na verdade, o grupo Luz Saúde pretende que o CESP não realize actividade sindical porque tem medo de trabalhadores esclarecidos que exigem o cumprimento de direitos, nomeadamente:

– O pagamento de subsídio mensal de turno;

– O direito a dois dias de descanso semanal;

– O acréscimo de 100% sobre a retribuição pelo trabalho realizado em dia de feriado ou em dia de descanso;

– O pagamento do complemento de subsídio por acidente de trabalho em que assegura a totalidade de retribuição do trabalhador;

– O desconto indevido no salário das faltas que conferem direito a remuneração;

Também na área da Higiene e Segurança no Trabalho, os vestuários dos trabalhadores no Hospital da Luz, em Lisboa, não têm casa de banho ou chuveiro e os cacifos têm de ser partilhados.

Este grupo privado de “saúde” obriga os seus trabalhadores a não fazer qualquer pausa no serviço compreendido entre as 13h e as 21h, devendo os mesmos já virem almoçados para fazerem 8 horas seguidas de trabalho.

Os trabalhadores que precisem de estar em trabalhos melhorados por motivos de doença são perseguidos e pressionados a pedirem rescisão de contrato.

Os trabalhadores e o CESP irão continuar a denunciar estas atitudes que tentam limitar o direito à liberdade sindical e exigem respostas deste Grupo Privado de Saúde aos vários problemas levantados pelos trabalhadores.

A Direcção Regional de Lisboa do CESP


Os conteúdos publicados são da exclusiva responsabilidade dos seus Autores. As opiniões expressas em cada artigo vinculam apenas os respectivos autores e não traduzem necessariamente a opinião dos demais autores da “NoticiasLX” nem do Diretor ou do seu proprietário. A citação, transcrição ou reprodução dos conteúdos da “NoticiasLX” estão sujeitas ao Código de Direito de Autor e Direitos Conexos. É proibida a reprodução ou compilação de conteúdos para qualquer fim, sem a expressa e prévia autorização da “NoticiasLX” e dos respectivos Autores.

Autor

Antonio Tavares - Noticias@NoticiasLX.pt
Antonio Tavares - Noticias@NoticiasLX.ptAntonio Tavares
Esteve na direção técnica de alguns projetos de TV Regionais ao longo dos últimos 20 anos.
Atualmente diretor do NoticiasLX, é um defensor da importância das Televisões Regionais para o desenvolvimento das Regiões.

Antonio Tavares - Noticias@NoticiasLX.pt

Esteve na direção técnica de alguns projetos de TV Regionais ao longo dos últimos 20 anos. Atualmente diretor do NoticiasLX, é um defensor da importância das Televisões Regionais para o desenvolvimento das Regiões.