Quinta do Espanhol e Quinta do Espírito Santo: As Duas Quintas em Odivelas

Mapa com a Localização da Qtª do Espirito Santo e Qtª do Espanhol em Odivelas

António Maria Bravo

António Maria Bravo era filho de um cidadão de nacionalidade espanhola, natural de Sevilha e cujo nome era também António Maria Bravo. Foi António Maria Bravo, sénior, que em 1849 comprou uma quinta em Odivelas, que passou a ser designada pelo povo e passou à tradição, com o nome de Quinta do Espanhol, precisamente por ser dono dela um espanhol, segundo me afirmou o seu descendente, Dr. João Maria Bravo, felizmente ainda vivo e residente na quinta do Barruncho. Como confrontava com outra quinta, a quinta do Espírito Santo, nome que se estendeu ao local, a família, que não lhe chamava quinta do espanhol, como será de supor, quando se referia à sua quinta, dizia quinta do Espírito Santo, considerando o local e não a propriedade. Como se pode verificar nos mapas da época, eram duas quintas distintas.

A quinta do Espanhol tinha uma bela casa de habitação, onde até há poucos anos esteve instalado o lar das antigas alunas do Instituto de Odivelas. Este edifício foi declarado de interesse municipal e adquirido, recentemente, pela Câmara.

O primeiro proprietário e o seu descendente usaram-na como casa de férias e estadia periódica, pois por razões de negócios, tinham residência fixa em Lisboa.

O primeiro dono, desta família “Bravo”, aqui faleceu em 1858.

Seu filho, António Maria Bravo foi um benemérito de Odivelas, pela sua acção no campo da instrução e cultura.

Quinta do Espírito Santo

Na sua casa da quinta mandou instalar uma escola primária que era por ele inteiramente mantida.

Tomou a seu cargo custear tudo o que era necessário nas aulas, material didáctico, material escolar e até alguns alimentos às crianças.

Em 1863 fundou a Sociedade Musical Odivelense, única instituição que em Odivelas, durante muitos anos, desenvolveu actividades culturais. Ele foi o sócio n.º1 e os seus dois filhos, os sócios n.º2 e n.º3. Sendo uma sociedade musical, não podia deixar de ter uma banda. Nos livros de contas do Sr. António Maria Bravo encontra-se registado um empréstimo em dinheiro, feito à S.M.O, para comprar os instrumentos para a banda, no mês de Agosto de 1863. Vendo as dificuldades que a Sociedade tinha em satisfazer a dívida, António Maria Bravo decidiu fazer do empréstimo uma dádiva. Sabendo-se os elevados custos de cada instrumento, poderemos calcular a importância de tão generosa oferta.

 

 

 

 

 

Quinta do Espanhol

A abertura de uma escola e a fundação da Sociedade são duas obras de grande importância pelos serviços que prestaram à população de Odivelas e merecem o nosso maior reconhecimento e gratidão.

João Maria Bravo

O Sr. Dr. João Maria Bravo, residente e proprietário da Quinta do Barruncho, é bisneto de António Maria Bravo, júnior. Manteve sempre elos de ligação com a Sociedade Musical no campo da cultura. Desejando dotar a Sociedade de uma biblioteca, instou junto da direcção para que esse objectivo se concretizasse e ofereceu, com esse fim, os primeiros 100 livros. Graças à sua dádiva, no dia 17 de Abril de 1975, foi inaugurada a Biblioteca António Maria Bravo, nas instalações da colectividade. Enquanto a saúde lho permitiu, manteve contacto com a Sociedade, estimulando sempre a direcção a manter, desenvolver e alargar as actividades culturais.

Maria Máxima Vaz

________
Proibida a reprodução total ou parcial dos conteúdos apresentados, sem licença do autor.


Os conteúdos publicados são da exclusiva responsabilidade dos seus Autores. As opiniões expressas em cada artigo vinculam apenas os respectivos autores e não traduzem necessariamente a opinião dos demais autores da “NoticiasLX” nem do Diretor ou do seu proprietário. A citação, transcrição ou reprodução dos conteúdos da “NoticiasLX” estão sujeitas ao Código de Direito de Autor e Direitos Conexos. É proibida a reprodução ou compilação de conteúdos para qualquer fim, sem a expressa e prévia autorização da “NoticiasLX” e dos respectivos Autores.