Os dois empréstimos bancários e a posição do PS em Loures

Os dois empréstimos bancários apresentados em Loures pelo executivo de Bernardino Soares – para a Câmara e para os SIMAR Para Ricardo Leão, presidente da CPC do PS em Loures – “o Partido Socialista foi claro no documento que assinou onde os empréstimos eram peças à parte do Orçamento.

As afirmações de Gonçalo Caroço na reunião de câmara, ao dizer que o orçamento está em causa se não aprovarem os empréstimos bancários, eu fico com uma pergunta:
– A CDU/PCP enganou o partido Socialista nas negociações?

O Empréstimo dos SIMAR
A CDU/PCP apresentou a proposta de aumento do preço da água mas, o PS, só esteve disponível para um aumento que acompanhasse apenas a taxa de inflação.

Com o empréstimo, os SIMAR vão assumir uma competência do urbanizador na 4ª fase do Infantado.

Onde está a boa capacidade de gestão dos SIMAR?
Se há mais valia do ponto de vista da boa gestão financeira ela tem ido para alguns casos – nós sabemos para onde e no tempo certo iremos dizê-lo. Nós não andamos aqui a dormir e por via de ter de alimentar uma máquina através dos serviços intermunicipalizados, deixa-se de ter capacidade financeira para fazer aquilo que lhes compete que é remodelar as redes e adquirir as viaturas para a recolha dos resíduos e substituir os contentores.
Como gastam Milhões de euros no alimentar dessa máquina, chamemos-lhe assim, têm de pedir empréstimos bancários para resolver aquilo que devia de ser os SIMAR a resolver.

O Empréstimo para a Câmara de 12 Milhões de euros
Estar a pedir um empréstimo bancário de 12M€ sem conhecer a situação financeira do Município é “pôr a carroça à frente dos bois”.
Eu bem sei a pressa que a CDU/PCP tem de querer inaugurar um conjunto de obras antes de 2021 mas essa não é a preocupação primeira. Não dá é para o “ShowOff” do presidente Bernardino Soares e restante equipa. Mas para esse peditório o PS não dá.

O que o PS disse foi –  retirem a proposta do empréstimo e voltem a colocá-la em Março/Abril que é quando nós temos a noção da prestação de contas, do estado financeiro do Município e do saldo de gerência que vai transitar.
Se se confirmar um saldo de cerca de 30 Milhões há necessidade de estarmos a pedir um empréstimo bancário de 12 Milhões de euros?
A CDU/PCP em 2009, o PS propôs um empréstimo na mesma altura e é curioso que muitos dos Vereadores que hoje têm assento na Câmara como Vereadores da CDU/PCP, na altura eram Vereadores da CDU/PCP na oposição e a resposta foi: – Não faz nenhum sentido neste momento fazermos uma análise sobre empréstimos sem sabermos qual é o saldo de gerência que transita para o próximo ano e sem saber o estado financeiro do Município e isso só é possível saber com a prestação de contas que é feita em Março.

Para Ricardo Leão isto é incoerência total da CDU/PCP.

Se a CDU/PCP passar com o saldo de gerência de 30 Milhões de euros, muitas dessas obras não podem ser absorvidas por esse saldo ou esse dinheiro é para outras coisas?

Wordpress Social Share Plugin powered by Ultimatelysocial
RSS
Facebook
Twitter
YouTube