Carrilhões de Mafra voltam a tocar

Press-release “Carrilhões de Mafra voltam a tocar” do gab.comunicacao@cm-mafra.pt:

Assista, no dia 2 de fevereiro, a partir das 15 horas, ao concerto inaugural do restauro dos carrilhões do Real Edifício de Mafra, por reputados carrilhanistas nacionais e estrangeiros, que se realiza no Terreiro D. João V, aberto a toda a população. O programa das comemorações, intitulado “Festival Internacional de Carrilhão de Mafra 2020 – O Legado”, começa no dia 1, englobando recitais e palestras. A cerimónia que assinala o restauro dos carrilhões do Real Edifício de Mafra, decorre no dia 2 de fevereiro, a partir das 15 horas, com a Bênção dos Sinos pelo Cardeal Patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente, as intervenções das entidades oficiais e o concerto inaugural, que integrará a estreia da obra “Requiescat in pace Bizarro”, composta para o carrilhão da Torre Norte, interpretada pelo Grupo de Sineiros de Levache. Na Torre Sul, os protagonistas serão os carrilhanistas Abel Chaves, Francisco José Alves Gato e Liesbeth Janssens.

Para os recitais e para o concerto inaugural, comemorando o legado dos Carrilhões de Mafra, foram escolhidos reputados instrumentistas herdeiros desta importante tradição: Koen Van Assche e Liesbeth Janssens, carrilhanistas de Antuérpia – cidade da fundição de Willem Witlockx, autor do instrumento da Torre Sul; Marie-Madeleine Crickboom, carrilhanista em Liège – cidade da fundição de Nicolau Levache, autor do instrumento da Torre Norte; Luc Rombouts, titular do instrumento de Tienen – cidade belga onde se encontra o outro carrilhão Witlockx sobrevivente; Frank Deleu, carrilhanista consultor nesta empreitada; Francisco José Alves Gato, carrilhanista no Palácio Nacional de Mafra e herdeiro de uma tradição familiar de carrilhanistas locais; Abel Chaves, carrilhanista no Palácio Nacional de Mafra e consultor na obra de restauro; Ana Elias, instrumentista portuguesa que iniciou os seus estudos neste carrilhão.

O restauro do maior conjunto sineiro do mundo – cada uma das torres contém um carrilhão (e respetivos sinos musicais), um relógio (sinos de horas) e parte de um conjunto sineiro de serviço litúrgico (sinos de bamboar), distribuído por ambas as torres, perfazendo um total de 119 sinos – reveste-se de singular importância, não só para a comunidade local, como também para o país e para o mundo, assegurando a sua transmissão às gerações vindouras. Inaugura-se, assim, uma nova dinâmica musical associada ao Real Edifício de Mafra, recentemente classificado como Património Mundial pela UNESCO.


Os conteúdos publicados são da exclusiva responsabilidade dos seus Autores. As opiniões expressas em cada artigo vinculam apenas os respectivos autores e não traduzem necessariamente a opinião dos demais autores da “NoticiasLX” nem do Diretor ou do seu proprietário. A citação, transcrição ou reprodução dos conteúdos da “NoticiasLX” estão sujeitas ao Código de Direito de Autor e Direitos Conexos. É proibida a reprodução ou compilação de conteúdos para qualquer fim, sem a expressa e prévia autorização da “NoticiasLX” e dos respectivos Autores.