PAN Loures e Odivelas exigem respostas aos Executivos sobre o Beatriz Ângelo e aumento de contágios nos Concelhos

Os Grupos Municipais do PAN de Loures e Odivelas questionaram os executivos sobre as medidas que estão a ser tomadas para gerir a rutura que se verifica nos serviços do Hospital Beatriz Ângelo, bem como para garantir os cuidados e encaminhamento das pessoas recuperadas, a par dos apoios às IPSS naqueles que são dois dos Concelhos com um maior aumento de casos diários.

Nos últimos dias, os concelhos de Loures e Odivelas registaram um pico de casos de pessoas infetadas com o novo coronavírus SARS-Cov-2. Para além do aumento de casos, o Hospital Beatriz Ângelo, que serve estes concelhos, regista 12% dos internamentos por COVID-19 de todo o país e o maior número de infetados que já tiveram alta, mas que continuam internados por não terem condições para sair da instituição.
Segundo dados divulgados no dia 25 de maio pela Associação Portuguesa dos Administradores Hospitalares (APAH), cerca de um em cada cinco doentes internados com COVID-19 (18% do total) permanece no hospital por razões sociais, tendo a maioria mais de 70 anos.

“É urgente aliviar o Beatriz Ângelo e, para tal, é necessário que as Câmaras atuem e providenciem o devido apoio logístico e financeiro às Estruturas Residenciais para Idosos para que consigam adaptar-se e garantir as condições necessárias de isolamento de doentes infetados por COVID-19 dentro das suas instalações” , defende o deputado do PAN Odivelas, Nelson Silva.

Os Grupos Municipais do PAN de Odivelas e Loures questionaram já as autarquias locais sobre os testes nos lares, requerimentos que carecem ainda de resposta. No caso concreto de Loures, foi denunciada a situação de vários “ lares com dificuldades em conseguir realizar testes a todos seus residentes, após a deteção de casos positivos de COVID-19 entre os seus trabalhadores”, apesar de serem estas as orientações da DGS. “ Sem uma imagem clara e
real do número de infetados, as instituições não poderão implementar devidamente os Plano de Contingência para garantir a necessária continuidade da prestação de cuidados aos residentes, assim como a prevenção e controlo dos contágios. ”

“ Temos vindo a assistir a um preocupante aumento de casos no concelho de Loures e é de conhecimento público que, infelizmente, as pessoas idosas têm sido as mais afetadas nesta tendência ”, afirma o deputado do PAN na Assembleia Municipal de Loures, Bruno Oliveira.

Face a esta realidade, no início da declaração do Estado de Emergência, o PAN Loures questionou o Executivo relativamente à “Estratégia Municipal de Apoio à População Idosa no âmbito do contexto da pandemia” e reforça que “ Passar a responsabilidade às IPSS não é uma estratégia”.
Às situações acima descritas, acresce ainda as questões suscitadas sobre o fornecimento de máscaras à população, nomeadamente o facto da Câmara Municipal de Loures ter adquirido máscaras por ajuste direto, no valor de 332.400,00€, segundo consta no Portal da Contratação Pública. Situação que o PAN critica tanto pela escolha de um fornecedor intermediário ao invés de um produtor-fornecedor certificado, como pelo elevado valor das máscaras, compradas sem concurso público a um preço superior ao praticado no mercado, ao qual acresceu ainda o valor da impressão do logotipo camarário.
Pagar pela impressão do logotipo da Câmara Municipal de Loures nas máscaras é uma opção desnecessária que levanta questões sobre o aproveitamento político da trágica situação pandémica, assim como uma pobre gestão de dinheiros públicos.”, afirma a formação política, que acusa ainda esta medida de ser tardia e que, ao dia de hoje, alguns munícipes continuam sem receber o voucher necessário para o levantamento das máscaras gratuitas.

A situação atualmente vivida nos Concelhos de Loures e Odivelas levou já o próprio presidente da Autarquia de Loures a fazer um pedido de ajuda público, reconhecendo que a situação é preocupante. No entanto, para o PAN, esta é uma situação “ infelizmente previsível tendo em conta todas estas circunstâncias, e preocupa a irresponsabilidade com que, face a esta realidade, o PCP votou abstenção ao alargamento do Estado de Emergência na Assembleia da República ”.
Loures e Odivelas 29 de Maio de 2020
Grupo Municipal do PAN – Pessoas-Animais-Natureza em Loures
Grupo Municipal do PAN – Pessoas-Animais-Natureza em Odivelas

Wordpress Social Share Plugin powered by Ultimatelysocial
RSS
Facebook
Twitter
YouTube