Primeiro-Ministro destaca consideração pelo trabalho dos médicos e de todos os profissionais de saúde

«Temos de trabalhar mais em equipa para garantir a todos os cidadãos portugueses, que residam nas suas casas ou em lares, a melhor qualidade possível» na saúde, disse o Primeiro-Ministro António Costa, no final de uma reunião com a Ordem dos Médicos, em Lisboa.
 O Primeiro-Ministro disse que a reunião tinha sido «muito franca e bastante útil» com «troca de informações, quer sobre o contributo da Ordem dos Médicos tem dado e continuará a dar no combate à pandemia» de Covid-19, «quer para trocarmos impressões sobre o que tem sido a atuação do Estado e do Serviço Nacional de Saúde para responder à pandemia».
António Costa, que esteve acompanhado pela Ministra da Saúde, Marta Temido, destacou o papel que os médicos tiverem e continuarão a ter não só no combate à pandemia de Covid-19, como na qualidade da saúde em Portugal. 
Reforma do sistema de saúde
Na reunião, «mereceu particular atenção a situação dos lares», disse, acrescentando que tinha informado «em pormenor o Senhor Bastonário sobre a forma como o Estado, desde junho, tomou conhecimento, agiu e reagiu perante a situação que ocorreu no lar de Reguengos de Monsaraz».
«O nosso sistema de lares assenta num esforço enorme de Instituições de Solidariedade Social, de Misericórdias e de Mutualidades para responderem a necessidades de pessoas idosas». Devido à evolução demográfica, com o aumento da esperança de vida, este modelo «tem de merecer uma reflexão profunda na nossa sociedade».
Uma das prioridades da reforma do sistema de saúde» é o «desenvolvimento da rede de cuidados continuados integrados e de programas de assistência domiciliária para diminuir o grau de institucionalização». 
«Este é um problema que temos de abordar coletivamente, num trabalho de parceria com as Instituições de Solidariedade Social, as Misericórdias e as Mutualidades, como temos estado a fazer, e no qual a colaboração da Ordem dos Médicos é absolutamente essencial», acrescentou.
O Primeiro-Ministro disse também que apresentou «ao Senhor Bastonário e aos dirigentes da Ordem dos Médicos o esforço que o Estado tem feito desde o início desta pandemia para reforçar as condições financeiras e humanas para que Instituições de Solidariedade Social, Misericórdias e Mutualidades façam ainda um melhor trabalho».
Esforço de investimento
António Costa lembrou o esforço de investimento no Serviço Nacional de Saúde: «no início do ano fizemos o maior reforço orçamental de sempre na dotação inicial do SNS» com 900 milhões de euros; «com o orçamento suplementar fizemos um segundo reforço mais de 500 milhões de euros».
Tem também «sido feito um esforço muito grande para reforçar os meios financeiros para que os lares possam funcionar com melhor qualidade», disse também.

Fonte: Portal do XXII Governo

Wordpress Social Share Plugin powered by Ultimatelysocial
RSS
Facebook
Twitter
YouTube