Publicidadespot_img
Sexta-feira, Dezembro 9, 2022
InícioOpiniaoColunistaO pulmão (esquecido) de Odivelas

O pulmão (esquecido) de Odivelas

Num período de empolgamento com o futuro Parque da Cidade, que irá nascer nos terrenos contíguos ao Mosteiro de Odivelas, constatamos o abandono e a degradação daquele que, verdadeiramente, é o “pulmão” de Odivelas: o Pinhal da Paiã.

O Pinhal da Paiã, com 25 hectares (3 vezes a área prevista para o futuro Parque da Cidade) está, e tem estado, sob controlo municipal sem que precise de obras megalómanas ou verbas significativas para suportar a sua abertura e manutenção, disponibilizando esta área verde à população odivelense.

Mas a realidade é diferente e o que se verifica é que este pinhal tem estado encerrado (foi reaberto no dia 9 de Março) num período em que, face ao contexto pandémico, mais se exigia a disponibilização de espaços ao ar livre para passeios ou atividades físicas em segurança e em cumprimento de regras sanitárias.

Quais são, então, as possibilidades para este Parque?

Recuperando algumas das propostas da Iniciativa Liberal no seu programa autárquico, as perspetivas para este “pulmão de Odivelas” passam por:

  • Assegurar a contínua higiene e segurança do espaço
  • Limpeza do mato excedente nas zonas de circulação e percursos demarcados
  • Disponibilidade das casas de banho e colocação de caixotes de lixo
  • Criação de novos trilhos que permitam mitigar a inclinação do terreno, aumentando a distância pedonal utilizável e aumento da área arborizada
  • Criação de parques infantis
  • Passadiço superior pedonal com ligação ao Campo de jogos do Centro Escolar Republicano Tenente Valdez
  • Criação de parques caninos
  • Ordenamento do estacionamento junto à entrada do Parque
  • Reabertura do espaço de restauração, considerando a colocação de uma esplanada
  • Melhoria dos acessos pedonais e criação de vias cicláveis provenientes dos vários acessos àquela zona

Todas estas medidas, com exceção da intervenção nos acessos pedonais e criação de vias cicláveis, são de fácil implementação e não comportam esforços financeiros significativos, tendo em conta o peso destas despesas num orçamento municipal que, para 2022, já supera os 130 milhões de Euros.

A melhoria dos caminhos pedonais e a criação de ciclovias podem ser equacionadas no curto-médio prazo, com a correspondente planificação e dotação orçamental, mas não parece haver dúvidas das vantagens resultantes desta medida, desde logo, com ganhos em saúde pública e melhoria da qualidade de vida da população.

Vamos aproveitar o que temos e otimizar os recursos disponíveis! Para isso, é fundamental que o Parque do Pinhal da Paiã se mantenha à disposição da população, com a dignidade e manutenção que merece, aumentando a área verde disponível e equipamentos de apoio e ordenando a sua envolvência para que esteja acessível a toda a população de Odivelas.

David Pinheiro, Iniciativa Liberal de Odivelas

- Advertisement -spot_img
- PUB-spot_img

Ultimas

Artigos Relacionados